Dia dos Filhos

family-3

Parece que hoje é dia dos filhos…para mim é dia dos filhos há 13 anos. Desde que fui mãe que todos os dias passaram a ser diferentes, eu tornei-me uma pessoa diferente, tornei-me uma pessoa melhor.

Fiz muitas mudanças na minha vida com a maternidade, os meus planos incluem sempre um pacote de cinco, a titulo de exemplo, não consigo planear uma viagem sem os incluir…sim eu sei também é preciso tempos a dois ( e nós tentamos conseguir isso), mas para mim viajar sem eles não é viajar, conhecer mundo sem eles não me faz qualquer sentido, são os melhores companheiros de viagem que poderíamos ter, mesmo o pequenino percorre 12 km num dia ( como fez agora em Roma) e sempre com energia para mais. Não somos ricos mas todo o dinheiro extra que conseguimos é para viajar a cinco, sou perita em planear viagens baratas para famílias numerosas 😉

Mas nem todas as mudanças foram boas…desde que fui mãe que fiquei com um medo imenso de morrer, medo de não os ver crescer, medo de não estar lá quando precisarem de mim. Este medo aperta o peito e é quase proporcional ao medo infinito que tenho de os perder. Não sou uma mãe fácil, sou uma mãe que não dá grande margem de liberdade. Eu confio neles, são miúdos incríveis, mas tenho um medo egoísta de os perder, de lhes acontecer algo de mal. Sei que como mãe ainda vou ter muito que crescer…

Todos os dias me questiono se sou a mãe que gostava de ser? Não tenho resposta para esta pergunta, depende do momento, da hora do dia, da ocasião, da situação. Muitas vezes sou uma mãe que não gosto, outras fico na dúvida e algumas vezes olho para eles, vejo os sorrisos nos seus olhos e vejo-os tão felizes e penso “caramba…se calhar até estamos a fazer um bom trabalho” 😉

Feliz dia dos Filhos!

Respeitar os ritmos…

É mesmo isto que tem pairado na minha cabeça nos últimos tempos… Cada criança tem o seu ritmo que deve ser respeitado. A maioria das  escolas não respeita esses ritmos, os “rankings” deixam para trás tantas crianças, outras são gentilmente afastadas porque estragam médias da turma… ao que estamos a chegar….é assustador e triste ver o que algumas escolas estão a fazer ás crianças….

É urgente que se pare e pense no que é realmente importante. 

Quero os meus filhos longe de rankings….quero que os meus filhos continuem felizes e sem pressões em escolas quase do final da lista 😉

Motivem os Bichinhos Carpinteiros e os Bichinhos do Buraco 💕

Em todas as turmas encontramos os chamados meninos “bichinhos carpinteiros” que não param um segundo, que vivem a mil á hora, que se interessam por tudo e por nada, que pensam muito depressa, que são desastrados nos trabalhos, enfim acho que devem conhecer alguns 😜.

Mas há outra espécie de bichinhos que também há em muitas turmas que são os chamados “bichinhos do buraco”, meninos que falam baixinho, que só falam para alguns, que coram facilmente, que têm dores de barriga quando têm que falar para a turma, que choram quando se insiste para que falem,enfim outra espécie especial 😊

Não é fácil compreender estas “espécies ” mas ambas precisam de muita atenção, no fundo ambos sofrem, uns porque incomodam, outros porque são incomodados.

A escola como é hoje, não se compadece de meninos e meninas que não encaixem nas formas estabelecidas, não é fácil em turmas grandes diferenciar estratégias e chegar às necessidades destas crianças.

 Brincadeiras à parte  uma   criança com “bichinhos carpinteiros” precisa de mais tempos de paragem, precisa de ir fazer uns recados de vez em quando, de ir à “casa de banho” mais vezes, de se mexer na cadeira, por vezes roer uns lápis, enfim precisa de encontrar estratégias de auto-regulação. 

As crianças mais tímidas, os “bichinhos do buraco”, precisam do seu tempo, precisam de não ser obrigadas a ler alto para a turma, de não terem que ir ao quadro resolver um problema ( resolvem no caderno e mostram depois), precisam de não ir dar recados, de ter os seus silêncios respeitados! 

Reforço que nada destas adaptações são fáceis, mas asseguro que se puderem ser cumpridas, aos poucos todos ficam mais felizes, os bichinhos carpinteiros, os bichinhos do buraco e todos os outros colegas que “encaixam” no formato 🙂 

Se não somos todos iguais, as estratégias não podem ser todas iguais! 

Mais intervalos, mais alegria!

_DSC4049

Esta semana partilhei este vídeo e fiquei a reflectir sobre o assunto.  Fiquei a pensar em como o pior castigo que pode existir numa escola é a retirada dos intervalos. 

Nenhuma criança deveria passar por esse castigo, há tantas outras coisas que podem servir de moeda de troca, mas nunca os intervalos! Nunca a válvula de escape de uma criança. Depois as pequenas panelas de pressão explodem facilmente 😉

Nós somos adultos e temos dificuldade em manter a concentração toda a manhã sem fazer intervalo, imaginem uma cabeça de 6,7,8 anos, não é produtivo, tem efeitos nefastos no comportamento e na concentração. 

Uma criança de primeiro ciclo não consegue manter a atenção focada mais do que 30 minutos seguidos, e mesmo assim não são todas que conseguem esse tempo! Era necessário um intervalo de 15/20 minutos por cada hora de trabalho, isso era o ideal, mas não acontecendo pelo menos o intervalo de 30 minutos que existe nunca deve ser retirado, nunca! 

Falo diariamente com muitos professores e vou sensibilizando para os efeitos secundários da retirada dos intervalos, não só não resolve os problemas de comportamento como ainda os piora na parte final da manhã! 
Eu sei que quem retira os intervalos não o faz por maldade, mas confiem em mim, esticar os intervalos tem resultados muito melhores. 
Não é fácil ensinar nos dias de hoje, com turmas enormes, programas brutais e pressões enormes, no entanto, recordem-se que só se é criança uma vez e todas as crianças têm o direito de o ser! 

A vencer medos…

Muitas vezes sentimos os nossos filhos com medo de arriscar, de sair da sua zona de conforto, de tentar… daí incentivar sempre a que não digam o célebre “Não consigo! “. É exatamente nesses momentos que devemos passar aos nossos filhos esta mensagem, ajudá-los a vencer os seus medos. 

Ps – Agora o mais difícil. Mesmo que os medos deles também sejam os nossos, se não os deixarmos tentar podemos protegê-los de cair… mas não os deixamos aprender a voar! 

Os Pais também precisam de colo! 

Quando nasce um filho, nascem uns pais…e ninguém nos ensina a ser pais, podem existir cursos e formações de parentalidade mas cada filho é um filho e com ele traz desafios para os quais nem sempre estamos preparados! 

Aposto que em todas as casas houve momentos em que já se sentiram os piores pais do mundo, em que duvidaram das vossas capacidades, em que foram dormir com remorsos por ter gritado para tomarem banho ou para fazerem os trabalhos de casa…. É nesses momentos que mães e pais precisam de colo, precisam de sentir que não estão sós… sentir que todos temos limites,  e que não há pais perfeitos. Sentir que as suas dúvidas e as suas incertezas são comuns a todos nós. 

Uma das coisas que as pessoas mais me dizem no final dos workshops ou das palestras é que se sentem surpreendidos por saber que na minha casa somos pessoas normais, não somos modelos, também temos dúvidas, medos, angústias de Pais que também precisam de colo de vez em quando! 

Afinal todos os pais e mães precisam de colo! ❤️